sexta-feira, abril 14, 2006

Já postado...

Gavetinha da Nostalgia - 31 de Janeiro, 2006

Ontem, enquanto esperava que a minha impressora imprimisse 70 páginas, deu-me para a nostalgia e resolvi abrir a segunda gaveta do movel com rodinhas que esta por baixo da secretária (ou onde convém a quem la estiver sentado, porque como tem rodinhas pode ir para onde for preciso).
É sempre assim.... Eu sei que só lá tenho fotos, postais e cartas da "minha vida anterior", mas o estar a remexer nestas coisas todas.....


É engraçado como todos os sentimentos são relativizados com o passar do tempo.... Na verdade, não tem piada nenhuma! Pensar que tudo é tudo tão relativo, tão transitório e tão sujeito a mudança.... mesmo aquilo que num determinado momento representa tudo o que de mais importante temos na vida e que nem sequer somos capazes de nos imaginar a viver de outra maneira.... até isso!

Com o tempo a atenuar, as prioridades alteram-se, os objectivos são outros e por vezes o que outrora representava toda a nossa identidade, acaba por se esbater e diluir até acabar por morrer ou ficar confinado a uma memória... E a vida anda para a frente e faz-nos perceber que afinal não há nada nem ninguém insubstituível, que é tudo uma questão de adaptação, de saber encarar os novos desafios, de conseguir fechar ciclos, de perceber que quando se dá tudo num determinado momento, é mais fácil avançar e recomeçar novos projectos, novos ciclos, novas amobições, novas pessoas...

Quando fecho a minha gaveta cheia de memórias, só me resta pensar que foi tudo muito bom.... Que não fazia nada diferente, que tudo o que vivi faz de mim a pessoa que sou hoje, que tenho tantas memórias boas... e principalmente que tenho sorte!! :o)


O amor é sempre um conceito nosso - 20 Janeiro, 2006

"Nunca amamos ninguém. Amamos tão somente a ideia que fazemos de alguém. É um conceito nosso em suma, é a nós mesmos que amamos. Isso é verdade em toda a escala do amor. No amor sexual buscamos um prazer nosso dado por intermédio de um corpo estranho. No amor diferente do sexual, buscamos um prazer nosso dado por intermédio de uma ideia nossa."
Fernando Pessoa, In: Livro do desassossego


A origem da obesidade... - 20 Janeiro, 2006

"Dois fantasmas, dois exorcismos, o mesmo ritual: comer, porque comer alivia a pressão e a depressão, dá paz interior, sensação de bem estar, tranquilidade, tira-nos por momentos deste mundo complicado onde nos enredamos à procura de uma saída airosa e embora saibamos e temamos as consequências do nosso comportamento alimentar continuamos sem detença, ultrapassando os limites do razoável, até nos confrontarmos com os resultados do excesso, aliás como noutro vívio qualquer".
José Pedro Lima Reis, in: "O estranho caso do testículo desautorizado e outras histórias médicas"



Felizes para sempre - 8 Janeiro, 2006

Uma das coisas que mais me irrita nas histórias de amor e nos contos de fadas é o conceito "casaram e viveram felizes para sempre". Como se isto fosse verdade!!!! O viver feliz para sempre não existe, muito menos associado à palavra casamento!!! E estava eu a remoer nestas minhas teorias enquanto procurava um dos meus antigos cadernos de epidemiologia, quando encontrei um daqueles livrinhos para onde, na vida que eu tinha antes desta, costumava copiar citações ou frases de livros que estava a ler que gostava e que por algum motivo que não queria esquecer que tinha lido...
Eu bem sei que há muito quem não goste do Julio Machado Vaz (JMV - daqui em diante), mas eu acho que ele é um comunicador nato, gosto do tom de voz dele (independentemente daquilo que ele esteja a dizer) e e gosto da maneira um tanto ou quanto portuense como ele escreve e gesticula; bem.... Como estava a dizer antes de me perder em elogios ao JMV... ah!
Acho que em poucas palavras ele expressou muito bem o que eu penso sobre as arrebatadoras histórias de amor tipo "Romeu e Julieta" ou "Fiona e Shreck"(lolololllll), por isso, e com a minha total concordância, aqui fica a frase que fez ficar a acenar a cabeça virada para um caderno durante uns 5 segundos....
"Suspiramos de inveja ao escutar a história de Romeu e Julieta e contudo sabemos que tinha de ser assim, não os imaginamos casados e nervosos pela subida das taxas de juro."

Depois da pausa que tive que fazer na minha busca do caderno de epidemiologia, resolvi desistir de procurar e perguntar ao google.... Também já cheguei à conclusão que se o google não sabe responder é porque o que procuramos não existe!! E pronto com 3 minutos de busca encontrei a formula que precisava... quem tem google, tem tudo!! :o)



Andor Violeta - 4 Janeiro, 2006

E porque eu hoje ainda estou muito saudosista (só ontem é que me vim embora do Porto....), não posso deixar de falar desta bela expressão portuense que é o "andor violeta!!!!".
Bem sei que esta expressão não é tão forte como um "Põe-te já no olho da rua!" mas também não é tão fraca como um "Desanda!", e tem sem dúvida os seus encantos....
O que eu me questiono é... de onde terá saído uma tão floral expressão para pôr alguém a marchar de um sítio para o outro?!?!? Fica a dúvida....


Até já! - 21 Dezembro, 2005

Uma das características de Genève é a da permanente despedida daqueles que quem gostamos..... sejam colegas, família, amigos, chefes..... A maior parte das pessoas está de passagem...

Ontem tive que dizer "até já" a mais duas pessoas que realmente gostei de conhecer, não só por serem conterrâneos (um mais do que outra....), mas pelo que representa tê-los conhecido... É muito bom pensar que já há outras pessoas que saem e que querem vir arriscar e conhecer outras coisas, outras formas de trabalhar.....

Conforme vos disse ontem: Espero que voltem como staff's, e espero ainda estar por cá para vos voltar a receber!!!


Citações do livro "Afrodite" (Isabel Allende)- 17 Dezembro, 2005

"Mas o amor, tal como a sorte, vem quando não o chamam, instala-nos na confusão e esvai-se como fumo quando tentamos retê-lo."

"Há mãos e mãos, umas pesadas e desajeitadas, outras pequenas e fortes, há-as leves e temerosas, outras grandes e gentis, mas para fazer pão e para fazer amor, o que interessa é a intenção que guia a mão."

"A sexualidade é uma componente da boa saúde, inspira a criação e faz parte do caminho da alma; não se associa a culpas ou segredos, porque o amor sagrado e o amor profano provêm da mesma fonte e supõe-se que os deuses festejam o prazer humano".

"A imaginação é um demónio persistente, sem ela o mundo seria a preto e branco, viveríamos num paraíso de militares, fundamentalistas e burocratas, em que a energia hoje investida na boa mesa e no bom amor se destinaria a outros fins, como matarmos-nos uns aos outros com mais disciplina."

"Não há afrodisíaco que valha sem o ingrediente indispensável da simpatia que, levado à perfeição é o Amor."



Tornar espaços de todos em espaços nossos..... - 14 Dezembro, 2005

Mudei de gabinete recentemente... Para mim é incrivel como 2 pessoas podem encher o mesmo gabinete de maneiras tão diferentes!!! A pessoa que estava antes de mim tinha o gabinete impecavelmente organizado e as paredes quase vazias... eu mudei-me para cá e tratei logo de lhe dar um ar familiar e pessoal.... Para quê? Acho que para que quando chego de manhã cedinho, possa ter duas paredes amigáveis e acolhedoras à minha espera!!

Isso implica não só as duas fotos de por-de-sol na praia, mas também o calendario aberto em 2006, os postais que touxe de diferentes museus com imagens que eu gosto e que me ajudam a passar pelos dias mais tristonhos de uma maneira mais ligeira.... Por isso, não consigo compreender aqules gabinetes impessoais e impecavelmente arrumados que não denunciam o mais pequeno detalhe sobre quem lá trabalha!!

2 comentários:

nicinha disse...

Ai, linda, que gozo me deu ler (e reler nalguns casos) os teus posts! Tu tb és uma comunicadora nata, tal como o JMV

:o)

Beijos enormíssimos, vou ler-te mais um cadinho ;o)

mardapalha disse...

As coisitas sempre arrumadas da mesma maneira não fazem o meu genero... tornam-se bibots... impessoais...